Euro Vespa 2004

EuroVespa 2004, A FESTA DAS VESPAS
Cinquenta anos depois do 1º EuroVespa, o mais importante encontro mundial das míticas scooter italianas teve lugar em Lisboa.

Parabéns Portugal, parabéns Vespa Clube de Lisboa! Foram estas, decerto, as palavras mais ouvidas no final do EuroVespa 2004, quando das despedidas dos 1500 vespistas, vindos de diversas partes do mundo para tomar parte neste evento.
Foi a concretização de um sonho, trazer a este paraíso que é Portugal o EuroVespa, que desde 1954 percorre a Europa e tem agora a sua 38ª edição.
Belém recebeu condignamente os visitantes, e à medida que estes levantavam os seus sacos com os respectivos tesouros – placa comemorativa em esmalte, réplica de Vespa em miniatura, t-shirt, etc – a satisfação era evidente.
A postos estavam os infatigáveis guias que palmilharam a CRIL até ao Parque de Campismo de Monsanto inúmeras vezes, e levaram os “vespoturistas” a vários passeios a museus, Castelo de S. Jorge, Sintra, e à sede do Vespa Clube de Lisboa, o único clube português de motociclismo com 50 anos de actividade.
Cerca de 60% dos inscritos estavam em Monsanto acampados, e maravilhados com as condições do Parque, e os restantes espalharam-se por dezenas de hotéis pela cidade.
Se, durante o Europeu de Futebol, a campanha “Road to Lisbon” da Adidas foi forte, a chegada das vespas a Lisboa para o EuroVespa foi um sucesso. Vieram vespas de todas as idades, cores e decorações, com donos das gerações mais variadas, trazendo vida e alegria a Lisboa, pois nem só de futebol vivem os portugueses…

Agenda preenchida
O programa foi-se desenrolando, sempre com uma bem disposta equipa do VCL a controlar as operações, e outra equipa poliglota na recepção. Na sexta-feira a festa foi comandada pelo Rancho Folclórico da praia de Vieira de Leiria, com o sócio honorário do VCL, António Ramos, a fazer de maestro. No dia seguinte, partiu-se para o passeio/desfile, com a PSP e BT a abrirem alas para os cerca de 1700 vespistas – pois, à boa maneira portuguesa, juntaram-se aos participantes mais umas centenas de “borlistas”, e viajaram connosco no maior desfile alguma vez feito ao Cabo da Roca.
Os vespistas estrangeiros, cerca de dois terços da comitiva, ficaram maravilhados com a nossa estrada marginal, e os italianos particularmente com Cascais, a terra que acolheu o seu Rei Humberto no exílio. No Cabo da Roca o espaço foi pouco para tanta scooter, o almoço foi distribuído e continuou-se pela estrada da Lagoa Azul, passando depois pelo Autódromo e Casino do Estoril, de regresso a Belém.
A maioria voltou então ao Camping para se aprontar para o jantar de gala, que contou com a presença do Ministro das Obras Públicas, Engenheiro Carmona Rodrigues, entre outras individualidades, e onde foram premiados pela sua presença 175 clubes.
Na manhã seguinte, os “sobreviventes” da festa de Sábado à noite lá estavam em frente à Torre de Belém, para um passeio por Lisboa, avenidas fora, direitos ao Terreiro do Paço e depois à Expo, onde foi o almoço, junto ao rio Tejo. Presente voltou a estar Carmona Rodrigues, aos comandos da Vespa 50 que o seu pai lhe ofereceu quando fez 16 anos, que ainda está impecável, apesar dos milhares de quilómetros e dezenas de anos.

Para o próximo ano, o EuroVespa terá lugar outra vez na Áustria – depois de Viena em 2003 -, e também em 2005 o VCL tem agendado o IberoVespa, com muitos vespistas a quererem regressar.
in MotoPortugal Nº 119 – Agosto de 2004