História da Vespa

Os modelos da PIAGGIO ao longo dos anos:

 

O início:

A primeira Vespa foi produzida em 1946 e transformou-se num sucesso imediato. Este primeiro modelo ainda é hoje produzido em larga escala. O seu design eterno foi o que fez a Vespa ter a popularidade que tem em todo o mundo. Muitos modelos foram produzidos com pequenas diferenças, mas visíveis. Os tamanhos do motor variaram de 50-200cc. A Vespa é desenhada e produzida pela Piaggio em Itália. A Piaggio participou em muitos mais projectos além da sua famosa linha scooter.

A empresa era uma inovadora distinta na área do transporte. A Piaggio foi fundada em Genoa, Itália em 1884 por Rinaldo Piaggio, de 20 anos. Começou o seu negócio com encaixe em navios luxuosos. No fim do século, a Piaggio produzia carruagens de trilho, autocarros luxuosos, carruagens para camiões, motores e comboios.
Durante a primeira Guerra Mundial, a empresa entrou em novas áreas, participando na produção de aviões e navios.

Em 1917, a Piaggio decidiu comprar uma nova fábrica em Pisa. Quatro anos mais tarde, a empresa continuou a adquirir uma pequena fábrica situada em Pontedera, na região de Toscânia. A nova fábrica em Pontedera transformou-se no centro da Piaggio para a produção aeronáutica, produzindo hélices, motores e peças completas de aviões.
Com o início da segunda Guerra Mundial, a fábrica de Pontedera da Piaggio construiu o avançado avião de quatro motores “P 108”. Este estava disponível na versão de passageiros e bombardeiro. Entretanto, mais tarde, a fábrica foi completamente destruída pelos bombardeiros aliados devido à importância militar da planta.
O filho de Rinaldo, Enrico Piaggio, tomou posse da empresa após seu pai. Ele estava preocupado com o estado desastroso das estradas e da economia italiana após a II Guerra Mundial. Com isso, Enrico focou os objectivos da empresa nas necessidades móveis pessoais do povo italiano.


O exterior da fábrica da Piaggio & C.  situada em Sestri Ponente e Enrico Piaggio cercado de “Vespas”

O ingénuo coordenador aeronáutico da Piaggio, Corradino D’Ascanio, desenhou, construiu e fez voar o primeiro helicóptero moderno. Com o novo foco da Piaggio, dedicou-se a projectar um veículo simples, resistente e económico que fosse confortável e elegante. D’Ascanio não suportava motociclos e subsequentemente apareceu com um novo veículo revolucionário. Usando a influência da última tecnologia aeronáutica daquele tempo, inventou um veículo que poderia ser construído num monocoque (termo francês para “escudo único”) ou corpo a toda a prova, que se torna uma tradição da Vespa.
O resultado seria a Vespa – um design “inspirado num avião” que continua a ser único e pensado no futuro para veículos de duas rodas.

As Primeiras Vespas
Em abril de 1946, as primeiras 15 Vespas sairam da fábrica de Pontedera. A primeiro Vespa teve um motor de dois-cilindros com 98cc, 3.5 cavalos de potência a 4.500 revs. Alcançou 60 quilómetros p/hora e tinha 3 engrenagens. Este era um veículo de serviço público verdadeiro de duas rodas que não oferecia um motor incómodo e ruidoso, e sim classe e elegância à primeira vista.



O sucesso da Vespa

O sucesso da Vespa é um fenómeno que nunca será repetido. No final do ano 1949, 35.000 unidades tinham sido produzidas – A Itália estava a recuperar as suas feridas da guerra e a começar a reparar nas Vespas. Nos primeiros dez anos, um milhão de unidades foram produzidas. Pelos meados dos anos cinquenta, a Vespa era produzida na Alemanha, Inglaterra, França, Bélgica, Espanha e, naturalmente, em Itália.
E somente alguns anos mais tarde, a produção foi iniciada na India e na Indonésia também. A “125” de 1948, as “150 GS” lendárias de 1955, as “50cc” de 1963, as “Primavera” de 1968, e as PX, nascidas em 1978, que  ainda hoje são produzidas nas clássicas “125” , versões “150” , são simplesmente alguns dos modelos que distinguiram a evolução técnica e estilista da scooter mais famosa do mundo.
A Vespa não é só uma scooter. É um dos grandes ícones de estilo e elegância italianos, e com as mais de 16 milhões de unidades produzidas, é um estilo bem conhecido em todo o mundo. A Vespa não é, no entanto, apenas um fenómeno comercial, mas teve um significativo impacto social também. Durante os anos “Dolce Vita”, a “Vespa” tornou-se sinónimo de “scooter”; os jornalistas extrangeiros descreveram Itália como “o país Vespa”, e o papel importante que a Vespa teve na sociedade italiana foi demonstrado pela sua aparência nas dezenas de filmes.

A Vespa e os filmes